Siga-nos no Facebook

  • w-facebook

Copyright ©: Los autores

                            Reconocimiento – NoComercial – SinObraDerivada (by-nc-nd)

Este documento está sujeto a una licencia de uso Creative Commons 

Atlas de Anatomia Veterinária

Metodologia de trabalho

O Atlas que apresentamos complementa o trabalho, que durante anos estamos realizando na região. A metodologia de coleta de amostras se fundamentou na caça de subsistência que as comunidades locais realizam de forma corriqueira.

 

A caça de subsistência é uma atividade comum nas regiões neotropicais, é um dos elementos de conservação nos países em desenvolvimento e possui reconhecidos valores culturais. Subsistência é um termo que inclui alimentação e economia familiar, que facilitem alcançar as necessidades básicas para a vida. Durante anos, os caçadores foram capacitados no uso de técnicas sobre como otimizar a coleta de informações dos animais abatidos utilizando técnicas simples, que lhes permitem analisar, avaliar e regular o uso sustentável dos recursos naturais dentro de sua própria área. Estas ações foram realizadas integradas dentro de um programa participativo de manejo da vida silvestre. O manejo comunitário participativo é uma ferramenta que tem como finalidade estabelecer o uso sustentável de recursos naturais coerentes com o contexto econômico e sociocultural das comunidades locais.

 

Os caçadores também foram capacitados para garantir a coleta e armazenamento adequado das amostras. As vísceras de cada animal abatido foram conservadas em solução de formaldeído a 4% até o posterior processamento. As análises anatômicas foram realizadas nas instalações do “Instituto Veterinario de Investigación de Trópico y de Altura (IVITA)”. A terminologia anatômica utilizada no atlas anatômico segue a corrente Nômina Anatômica Veterinária.

 

É importante esclarecer que em nenhum caso houve incentivo à caça para realizar a colheita do material biológico. O trabalho se organizou aproveitando os animais que o caçador abatia para se alimentar. Por outro lado, queremos enfatizar que se tem continuado com as ações de sensibilização sobre o manejo de fauna silvestre sempre levando em conta o contexto sociocultural e econômico da região.

 

A existência de pouca ou nenhuma referência prévia (em função de cada espécie analisada) complicou especialmente a interpretação anatômica dos diferentes aparelhos e sistemas. A análise anatômica realizada se fundamentou principalmente na anatomia comparada com espécies domésticas e algumas espécies silvestres relatadas. Com isso, queremos esclarecer que é possível que alguns termos e estruturas anatômicas tenham de ser consideradas como não conclusivas. À medida que vamos avançando no estudo da anatomia das espécies amazônicas, tentaremos determinar com maior exatidão a informação oferecida por este atlas.

 

O atlas contempla atualmente algumas espécies silvestres pertencentes às classes Mammalia e Sauropsida. No entanto, na região existe uma grande quantidade de espécies que poderiam aumentar o conteúdo deste trabalho. Sendo assim, consideramos que este é um atlas aberto à inclusão de novas espécies que permitam completar o conteúdo do trabalho. Neste sentido, a fim de melhorar a qualidade da informação oferecida, aproveitamos a oportunidade para incentivar aos visitantes do atlas a discussão para, pouco a pouco, ir completando o presente trabalho.