Siga-nos no Facebook

  • w-facebook

Copyright ©: Los autores

                            Reconocimiento – NoComercial – SinObraDerivada (by-nc-nd)

Este documento está sujeto a una licencia de uso Creative Commons 

Atlas de Anatomia Veterinária

Músculos do membro pélvico

Músculos do cíngulo do membro pélvico

Índice de imagens

    Diferente do que ocorre no membro anterior, onde não há uma verdadeira articulação com o tronco, os ossos do cíngulo pélvico estão firmemente ligados ao tronco por meio da articulação sacroilíaca e seus ligamentos. Por este motivo, os músculos extrínsecos do membro posterior, ou músculos do cíngulo pélvico, são menos numerosos, e, no conjunto, menos desenvolvidos que os músculos do cíngulo torácico. Os três músculos do grupo se originam na superfície ventral das vértebras lombares e se inserem no ílio e na parte proximal do fêmur. Devido sua posição recebem também o nome de músculos sublombares.
    A sua função é mais simples e menos importante que a dos músculos do cíngulo torácico. Do ponto de vista estático, participam na fixação da pélvis e estabilizam e fixam a coluna vertebral, o que auxilia no suporte do peso do abdome. Do ponto de vista dinâmico, os músculos extrínsecos do membro influenciam o movimento da coluna vertebral e do membro: aumentam a inclinação da pélvis e arqueiam dorsalmente a coluna lombar influenciando em diversas atividade fisiológicas como a defecação, micção, parto e a cópula. Durante o galope do animal, a ação dos músculos projeta para frente os membros posteriores, inseridos sob o tronco.

M. psoas menor (Figuras 4.14.24.174.27)
    Origina-se na superfície ventral dos corpos da última vértebra torácica e nas 4 ou 5 primeiras vértebras lombares e se inserem na linha arqueada do ílio.
    Função: Quando a coluna está fixa, move a pélvis cranialmente. Se a pélvis está fixa, estabiliza e arqueia dorsalmente a coluna lombar.
    Inervação: Ramos ventrais dos nervos lombares.

M. íliopsoas (Figuras 4.14.24.17, 4.264.27)
    Esse músculo, que se encontra parcialmente revestido pelo músculo psoas menor, possui duas partes parcialmente fundidas. A parte maior, o músculo psoas maior (Figuras 4.1
4.204.22) se origina na superfície ventral dos corpos e processos transversos das vértebras lombares. O músculo ilíaco (Figuras 4.14.204.22), que é a menor parte, se origina na face ilíaca da asa do ílio. As duas partes se unem e se inserem juntas no trocanter menor do fêmur.
    Função: Flexiona o quadril e adianta o membro. Quando o membro está fixo, estabiliza e arqueia dorsalmente a coluna. 
    Inervação: Ramos ventrais dos nervos lombares.

M. quadrado lombar (Figuras 4.3
    Encontra-se revestido pelo músculo psoas maior. Origina-se na superfície ventral dos corpos das últimas vértebras torácicas e dos processos transversos das vértebras lombares e se insere na borda ventral da asa do sacro e na crista ilíaca.
    Função: Fixa a coluna lombar e a arqueia dorsalmente.
    Inervação: Ramos ventrais dos nervos lombares.

Músculos do cíngulo do membro pélvico

M. psoas menor (Fig. 4.14.24.174.27)

M. íliopsoas (Fig. 4.14.24.17, 4.264.27)

M. quadrado lombar (Fig. 4.3)